quarta-feira, 3 de novembro de 2010

A CARA NOVA DA POLÍCIA MILITAR DO MARANHÃO







Vislumbrando a logomarca do Comando Geral da PMMA atual, sobressai-se as inscrições: Paz, União, Respeito, Trabalho, circundando as cores da bandeira e o brasão do Estado do Maranhão, onde logo abaixo duas mãos, uma branca e uma negra, entrelaçadas em sinal de perfeita sintonia, sem nenhuma discriminação.

Uma verdadeira obra de arte.

Ao rebuscar o significado das palavras verificamos:

PAZ é geralmente definida como um estado de calma ou tranqüilidade, uma ausência de perturbações ou agitação.

UNIÃO é estar em sinergia; estar ao lado de algo ou alguém; decisão de se unir para algo; coisas que se completam; pensamentos iguais; gostos parecidos; capacidade de estar ligado a algo.

RESPEITO é uma das qualidades que temos para podermos nos relacionar com outras pessoas. É aceitar algo ou alguém, sem que seja necessário concordar, mas exercitar acima de tudo a tolerância, a compreensão e/ou entendimento. É o direito de expressar-se sem sofrer algum tipo de repressão, castigo ou punição. É alguém não fazer aquilo que não gostaria que lhe fosse feito.

Foi preciso vivenciar quase 30 anos na briosa PMMA, a fim de verificar que um Comandante Geral exercitasse em sua plenitude, sentimentos que sempre foram buscados na Corporação pelos homens que se disponibilizam a sacrificar sua própria vida em nome do dever cumprido.

Isto me remete as considerações feitas nas páginas 49-51 do Livro A CARA NOVA DA POLÍCIA MILITAR DO MARANHÃO do Monsenhor Hélio Maranhão, escrito no final do ano de 2005.

Há quase 24 anos de efetivo serviço na Polícia Militar do Maranhão – PMMA, sou testemunho dos significativos avanços que a Corporação experimentou nesse período e não tenho a menor dúvida em afirmar que em relação a pessoal, o ingresso dos capelães Hélio Maranhão e Misael Mendes da Rocha em 24 de novembro de 1993, cuja publicação ocorreu de acordo com o Boletim Especial n° 006, veio a marcar um verdadeiro referencial na Instituição.

Não obstante aos excelentes serviços que vem prestando os dois religiosos, nesta oportunidade gostaria de dedicar-me especificamente em tecer algumas considerações relativas ao Monsenhor Hélio Maranhão.

Desde que aqui chegou, recordo-me que as suas primeiras preocupações e providências eram assenhorar-se do papel que estaria afeito a um oficial intermediário, pois naquela oportunidade, ingressava na Corporação no posto de Capitão QCOPM (Quadro de Oficiais Capelães da Polícia Militar), pois em algumas oportunidades não se melindrava em questionar alguns companheiros como se comportaria, como usaria insígnias, como procederia nas mais diversas situações em que estaria envolvido como um oficial PM.

O que mais me chamava a atenção era o fato de que um homem de uma exuberante vivência sacerdotal, dotado de conhecimentos católicos profundos, com um fácil trâmite em todos os setores sociais, respeitado e admirado desde as mais humildes comunidades até a mais requintada sociedade maranhense, requisitado, por diversas vezes em várias regiões do Brasil e do Mundo, numa clara demonstração de sua bagagem intelectual, extrapolava os muros do seu mister principal – a religião.

Logo minha inquietude foi satisfeita, pois na Corporação do Brigadeiro Falcão, passou a desempenhar um papel aglutinativo de enorme significância, mostrando a todos (do soldado ao coronel) que éramos iguais, mas que cada um tinha e desempenhava suas atividades como integrantes de uma grande engrenagem e, por tal, todos deveriam ser considerados e respeitados, pois só assim a PMMA seria diferenciada no cenário social.

Incansável, passou em suas homilias, mensagens e encontros, a levar uma mensagem à sociedade, mostrando a galhardia, a importância, o respeito, a consideração que mereciam todos os integrantes da briosa e sesquicentenária Polícia Militar do Maranhão que, a partir de então, passou a vê-la, respeita-la e admira-la como um verdadeiro patrimônio do povo maranhense, dessa forma comportando-se como um verdadeiro miliciano.

Autor das Comunidades Eclesiais de Bases – CEBs e de belíssimos artigos, logo foi reconhecido e leito membro da Academia Barra-cordense de Letras, da Academia Maranhense de Letras e da Academia de Ciências, Artes e Letras de Tutóia, pois como possuidor de uma linguagem fácil, porém rebuscada, a cada artigo e obra que nos ofereceu e nos oferece mostra o seu verdadeiro valor como imortal.

Com a leveza que lhe é peculiar sempre manteve uma convivência harmoniosa e pacífica com o capelão evangélico e com o advento dos cargos em comissão de capelães na Corporação, chefia com maestria a equipe de capelães integrados por um outro padre e outros pastores de diversas ordens, em um trabalho constante e elogiável.

Tem propiciado aos companheiros oficiais, acesso a outras áreas de conhecimento, incentivando cada vez mais a brilhante fase em que o ensino e a instrução são dinamizados na PMMA, através da Diretoria de Ensino.

Destarte, traçar o perfil dos feitos do Monsenhor Hélio Maranhão, ao longo desses mais de onze anos na Polícia Militar é elencar um rol positivo de realizações, pois não obstante a sua sagrada idade cronológica, desafia a muitos com a sua jovialidade espiritual, profissional, altaneira, exemplar, física, digna dos mais valorosos policiais-militares que esta briosa Instituição já teve e possui em seus quadros, ao longo dos seus 169 anos de relevantes serviços prestados à sociedade maranhense.

Feliz é aquele que pode contar com o privilégio de sua amizade e dos ensinamentos, portanto, Monsenhor Hélio Maranhão, meu sincero respeito, consideração, admiração e agradecimento, pela sua inestimável contribuição para com a Polícia Militar do Maranhão. Carlos Augusto Furtado Moreira – Ten Cel QOPM. Comandante do 9° BPM – São Luís – 2004-2005... Licenciado em História e graduando em Direito.

Portanto Senhor Coronel Franklin Pacheco Silva, parabéns por sua visão e que Deus lhe proteja.

São Luís-MA, 03 de novembro de 2010.

Ten Cel QOPM Furtado
celqopmfurtado@gmail.com – (98) 8826 4528

Um comentário:

  1. moro no enterior do maranhao em zedoca gostaria muito de me tornar pm oq eu deve fazer e com obrigada ass marluce

    ResponderExcluir

Caros amigos

Poder expressar-se é a oportunidade de compartilhar conhecimentos adquiridos ao longo de nossa existência, portanto, sejam benvindos as minhas considerações profissionais.