sábado, 6 de novembro de 2010

DAS CURRIOLAS A CONFRARIA ESPAÇO LUSO BRASILEIRO

Sempre fui prematuro, de uma origem humilde (pai Praça da Polícia Militar e mãe doméstica que entre intervalos, confeccionava peças de roupas, costurando), logo cedo meu pai observando que eu gostava de estudar, estimulava-me, empenhando-se para que eu me tornasse um estudante profissional.

Nessa época morávamos em uma casa encravada em um aterro do mangue nas proximidades da Avenida Kenedy, cujo logradouro público - Rua - hoje denominada de General Ozório antiga Catulo da Paixão Cearense) estava localizada no bairro da Vila Passos.

Embora fosse a vontade do meu pai que me dedicasses apenas aos estudos, passei a perceber as dificuldades que ele possuía para proporcionar aos integrantes de uma família composta de 06 (seis) pessoas, o necessário para uma sobrevivência digna, mas sem muitos luxos.

Assim, um cidadão João Evangelista Martins Rodrigues, vendedor de livros representante da Bolsa Paulista de Livros que se mudou para próximo a minha casa, verificando a minha vontade de ajudar aos meus pais, convidou-me e ajudou a convencer meu pai para que eu realizasse as cobranças dos livros que vendia, assim, passei a trabalhar em um período do dia.

Desta forma, aos treze anos comecei a trabalhar e com o dinheiro que conseguia das comissões, ajudava meu pai nas reformas que foram implementadas ao longo dos anos na casa que foram se sobrepondo, em face dos aterros na rua e as melhoria de infra-estrutura que o bairro recebia.

Por outro lado, com meu dinheiro no bolso, comecei a conquistar a minha independência, a ponto de que desde 1974, meu pai não precisou mais contribuir para satisfazer as minhas necessidades e desta forma, pude inclusive custear o pagamento de minha escola (ensino médio), passando a freqüentá-la no período noturno, a fim de trabalhar mais e ganhar mais.

Ao aproximar-me da maioridade, comecei a participar de "CURRIOLAS", grupo de amigos que se encontrava com freqüência para beber “birinaites” e bater papo.

Minha vida foi mudando e meu pai, achou por bem escrever-me no concurso ao Curso de Formação de Sargentos da PMMA, no ano de 1980, onde logrei êxito e logo depois partir para o oficialato.

Já pelos idos dos anos 90 quando ainda Tenente, aos sábados, já participava dos encontros com companheiros em uma Churrascaria no saudoso Posto do Jurandir - próximo ao Ginásio Costa Rodrigues e Praça Deodoro no centro de São Luís.

Dr. Cleon Furtado, sempre se referiu à turma como “Curriola”.

Várias foram os sábados quando nos encontrávamos, onde além de participar da roda de amigos, me deleitava com os “causos” e diálogos que ali eram travados. Várias foram às pessoas que conheci.

Ao longo dos anos diversas mudanças ocorreram em minha vida, minhas idas para freqüentar cursos fora do Estado do Maranhão e do Brasil (Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro, Belém, Chile, Guatemala e outros países da América Central, Colômbia, Portugal, Itália e Estados Unidos), missões policiais militares em diversos lugares (o que certamente me fizeram participar de outras “curriolas”), fechamento da Churrascaria no Posto Jurandir, falecimento de alguns amigos integrantes da "curriola" e algum tempo depois o declínio da saúde Jurandir.

As reuniões mudaram de lugar, sendo que estas decorriam de atendimentos inadequados, cerveja quente, não aceitação por parte das direções - bebida de fora (whisky, vinho, etc.) e outras situações.

Desta forma, consequentemente, o número de amigos que participavam das “curriolas” foram diminuindo. Passamos por Barzinhos na Rua Grande, Solar das Flores, Caneco (Rua do Norte), Restaurante da Diquinha (Diamante), Bequimão, Churrascaria do "Posto do finado Gessinho”, Praça de Alimentação do Garden Shop Luzitana e outros.

Alguns amigos passaram a freqüentar outros locais, alguns próximos às suas residências, levados por questões das mais diversas possíveis (pararam de dirigir, a legislação de trânsito mais exigente, diminuição da sensação de segurança nas ruas, etc.).

Em minha memória ainda se fazem presentes: JURANDIR, ZÉ WALTER, LEITE (TOTONHO), CEL PERFETTI, FINADO CAMPOS, CELSO ROCHA, CHINÊS, GRACO, BANDEIRA, CAMÕES, GIUSTI, CONCEIÇÃO, CARLINHOS, CÉSAR PERFETTI, IVAN, JOÃO BELO, PEDRO AUGUSTO, SARAIVA, VIANA, ZÉ ARTHUR, finado GESSINHO e tantos outros.

Há aproximadamente dois anos, Bandeira, me convidou a ir a Confraria "Casa do Camões".

Naquele local fui bem recebido, reencontrei velhos companheiros de farra e logo, logo, batendo papo, bebericando e comendo petiscos, rapidamente fui me adaptando. Na despedida o convite do anfitrião e Presidente da Confraria "Camões" para que retornasse no sábado seguinte.

E assim passei a me dividir aos sábados entre a Confraria e a remanescente "curriola" que a esta oportunidade passou um bom tempo encontrando-se na Churrascaria do Posto Texaco do finado gessinho na Curva do 90.

Em 2009 fui designado para trabalhar em Pinheiro, comandando o 10° BPM, onde vários foram os finais de semana divididos com a Confraria, que passou a ser meu passatempo predileto.

Convidei outros companheiros para nos juntarmos aos Confrades, mas alguns preferiram continuar em um grupo reduzido alternando entre o Garden Shoping e outros locais.

Na Confraria sempre há uma cerveja gelada, comida variada, um bom papo, uma convivência salutar, alguns confrades alternando-se e levando seus (Whiskys, Vinhos e outras bebidas preferidas), diálogo e discussões sobre vários temas, além da comemoração de aniversários dos confrades (geralmente contar com a participação das famílias) quando a Confraria transforma-se em uma grande festa.

Nas sexta feiras o que o Presidente Camões chama de um bate bola informal - o cachorro quente, regado a birinaites.

A reunião de final de ano é uma oportunidade impar, onde encontramos velhos e bons amigos e outras reuniões com menores participações também são sempre muito agradáveis.

A Confraria Espaço Luso-Brasileiro possui vários confrades, onde se destacam ARMANDO, AZEVÊDO, BRANDÃO, CLEON, EVANDRO, FLÁVIO CAMPOS, GIUSTI, HÉLIO COÊLHO, JESUS SANTOS, ARIMATÉIA, ZÉ CLÁUDIO PAVÃO, ZÉ REINALDO PAVÃO, MORAES, JULINHO, JÚLIO CÉSAR, LÚCIO, MIGUEL FECURY, NONATO LAGO, PAULO NEVES, PAULO VIEIRA, SÉRGIO TAVARES, NYROND, SILVINHO, NÉLIO TAVARES, RODOLFO, TONY, ISAIAS, JUAN, PAULO ADVOGADO e tantos outros. Já recebeu visitas ilustres, políticos e até ex-governadores.

Assim durante a semana, contatos telefônicos e e-mails já programam o próximo encontro no sábado.

Essa é a CONFRARIA ESPAÇO LUSO-BRASILEIRO, onde não há diferenças e nem discriminações, um lugar onde todos são iguais, todos são amigos, onde há liberdades, onde se vive, independentemente de qualquer condição particular: social, financeira, intelectual, familiar, religiosa, profissional, opção política, opção sexual, etc., onde os objetivos principais são a diversão e amizade.

São Luís-MA, 05 de novembro de 2010.

CARLOS AUGUSTO FURTADO MOREIRA
(98) 8826 4528 – celqopmfurtado@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caros amigos

Poder expressar-se é a oportunidade de compartilhar conhecimentos adquiridos ao longo de nossa existência, portanto, sejam benvindos as minhas considerações profissionais.