segunda-feira, 26 de setembro de 2011

CIDADÃO CANTANHEDENSE


Com uma vasta programação em comemoração aos 59 anos de Emancipação Política do município de Cantahêde, entre os dias 22 a 25Set11, no dia 23Set11 os integrantes da Câmara Municipal me distinguiram e outorgaram o TÍTULO DE CIDADÃO CANTANHEDENSE.

A iniciativa partiu do Vereador Walber Rodrigues Santos, conhecido por "Neguinho" e "Professor", cuja comunicação me sensibilizou, vez que em pouco mais de duas décadas que tenho o privilégio de visitar o município, embora já tenha adotado algumas providências e atendido diversas solicitações na área da segurança pública no que concerne a Polícia Militar, o reconhecimento sem sombra de dúvidas é direcionado mais ao fortalecimento da amizade do que propriamente os resultados obtidos das inquietudes e quando os gerenciei em realidade estava apenas cumprindo o meu sagrado dever de policial militar.

Foi uma noite gloriosa, onde contando com a presença de familiares e amigos, testemunhamos o carinho, a consideração e o apreço a minha pessoa e a minha trajetória profissional.

Na oportunidade registrei as minhas considerações em um discurso previamente escrito, pois tinha convicção de que a emoção me roubaria o equilíbrio e me impediria de referenciar as minhas observações e agradecimentos:

Embora goste de falar de improviso, onde permanentemente ouso colocar em treinamento a minha capacidade de síntese e objetividade, desta vez preferir concatenar as idéias em um posicionamento escrito, para não ser traído pela emoção que ora me inavde.

Hoje sou só agradecimento.

A Deus pelo dom da vida, a meus pais pela geração, a minha família pelo acomapnhamento constante dividindo bons, dificéis, mas também gloriosos momentos como estes, a querida Polícia Militar do Maranhão paixão dividida, aos amigos pela consideração, mas em especial ao povo desta abençoada terra, representados ligitimamente pelos integrantes do seu parlamento, os excelentíssimos senhores vereadores José Raimundo Lima Oliveira, MD presidente da Câmara Municipal de Cantanhêde, Walber Rodrigues Santos "o Neguinho" (autor da proposição), amigo e compadre de longas datas, Raimundo José Rêgo Amaral, com quem também já compartilho uma convivência fraterna ao longo de vários anos, Paulo Nascimento de Sousa, Cleber Avelino Caldas, Raimundo Nonato Martins, Wilson Brito, pela distinção em me tornarem mais um de seus diletos filhos.

Se nesta oportunidade recebo a outorga chancelada pelos edis dessa Augusta Casa, em verdade tornam estes em realidade uma das maiores honras que um homem pode receber em vida, dividir o amor do torrão natal onde nasceu com a cidade que o acolhe.

Desde o início da amizade fraterna que me dedicam os meus queridos compadres e amigos Walber e Crisógono Santos desde o ano de 1982 e o convite para conhecer a sua bela terra, passei a nutrir uma verdadeira distinção por esta cidade.

Cantanhêde já faz parte da minha vida desde os idos de 1990 quando por aqui ao passar em missão profissional me dirigindo ao município de Pirapemas, para apurar comportamentos de policiais militares como responsável por uma sindicância e ao retornar alguns dias depois em uma parada fui privilegiado com a acolhida da Dona Jovelina Rodrigues Santos em sua residência, onde ali conseguir tirar um pouco da "poeira do lombo" adquirida naquela oportunidade quando a nossa estra MA ainda não era asfaltada e era castigada pela "puaca" oriunda do seu solo, no vai e vém dos buracos deixados pelo rigoroso inverno.

Posteriormente em outra visita, creio que estas adversidades foram consições estimulantes ao lado de sugestões da família Santos para que adquirisse um terreno e construísse uma casa, onde a mantive por alguns anos, entretanto, a falta de tempo para usufruí-la em função das constantes mudanças profissionais, me fizeram vendê-la.

Entretanto, não esqueci Cantanhêde, pois na medida do possível sempre me fez retornar para rever os vários amigos conquistados e seus familiares, cito entre outros, José Martinho Santos Barros (ex-companheiro da briosa Polícia Militar e atual prefeito), Cidinho Matos Amaral (ex-prefeito), Antônio de Jesus Rodrigues (vereador licenciado), Maninho (FUNASA), Lourival Peres, Raimundo Nonato (o Louro), Lindomar, Pedro Rêgo, Fernando Veras, Dona Maria Joana (comerciantes), Justo Monteles e Raimundo Lopes Caldas (ex-vereadores), Azarias (também ex-vereador e ex-funcionário da CEMAR), Zequinha Reis (ex-funcionário da CAEMA), Lucília Monteiro (Dona Tatá), Alfredo Monteiro Martins, Zuílo Reis Marques e João Pedro Rêgo (in memorian) e tantos outros, os quais sempre me dispensaram atenção e a minha família.

Quiça nosso Deus permita que com a proximidade da minha transferência para a Reserva Remunerada (a tão esperada aposentadoria), possa retomar o sonho de outrora, adquirindo um cantinho nestas paragens, para revezar com a minha estada em São Luís.

Assim mais uma vez queria agradecer a todos indistintamente que me privilegiam neste momento, em particular ao amigo Laurindo, empresário de Pinheiro e pedir a Deus que cada vez mais fortaleça as nossas amizades.

Muito obrigado.



Carlos Augusto Furtado Moreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caros amigos

Poder expressar-se é a oportunidade de compartilhar conhecimentos adquiridos ao longo de nossa existência, portanto, sejam benvindos as minhas considerações profissionais.