terça-feira, 23 de outubro de 2012

MISSÃO DE ESTABILIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS NO HAITI - MINUSTAH


Participando do Curso de Licitações e Contratos na Academia Coronel Walterler – ACW, em Natal-RN, em cumprimento as atividades acadêmicas, visitamos o 16º Batalhão de Infantaria Motorizado do Exército Brasileiro, onde aconteceu à formatura de apresentação do BRABAT I (1º Batalhão/17º Contingente para a Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti – MINUSTAH) que tem a previsão de seu embarque para o dia 03 de novembro próximo.

O Haiti é o país mais pobre da América Central e desde 2003, conta com um esforço de reconstrução nacional articulado pelas Nações Unidas com a participação de vários países, nesse interregno de tempo, sofreu um terremoto de grandes proporções que destruiu as infra-estruturas construídas e existentes, matou mais de cem mil pessoas e desabrigou mais de um milhão.

O BRABAT I é integrado em grande parte por militares do Exército Brasileiro (com a participação de 67 Organizações Militares de 27 cidades brasileiras), possui ainda militares da Marinha do Brasil, Força Aérea Brasileira, Forças Armadas do Paraguai e Exército do Peru, totalizando 891 homens/mulheres.

Sob o comando do Cel Inf. ExB Rogério Rozas, em organização há aproximadamente um ano, o efetivo tem se mobilizado nos últimos quatro meses em intensos treinamentos e instruções gerais, peculiares, de nivelamento e adestramento, a fim de cumprir as seguintes missões principais: manutenção de um ambiente seguro e estável; preparação e resposta a desastres naturais; proteção de civis sob ameaça iminente de violência física e apoio à recuperação e reconstrução do Haiti.

Ainda em treinamento em vários pontos do Brasil, constam instruções de armamento real e não letal, tiro, abordagem, jurídico, manejo de cadáveres, primeiros socorros, defesa civil, controle de distúrbio civil, leitura corporal do haitiano, gerenciamento de crises, liderança para oficiais e sargentos, reconhecimento, patrulhamento a pé, motorizado e marítimo, progressão em área urbana e rural, escolta de comboio, reunião com líderes locais, segurança de autoridades, segurança de locais de votação, educação física, atividades desportivas e outros; palestras sobre educação financeira e motivacional e outras; estágios em ambientes colapsados por desastres naturais e outros.

Medidas administrativas e logísticas compreendendo vacinação, coleta de DNA, avaliações antropométrica e física, recebimento de materiais e equipamentos são atividades que complementam a preparação, enfrentadas por homens e mulheres.

Enquanto assistia a apresentação do brilhante coronel, homem que conta na bagagem com duas missões da ONU, dois momentos de minha carreira profissional me vieram a lume, fazendo-me refletir, o primeiro no ano de 1995 quando tive a honra de participar da Missão das Nações Unidas para a Verificação dos Direitos Humanos em Guatemala - MINUGUA, como observador policial, à época, aquele país completava 36 anos de guerra civil, onde guerrilheiros tentavam tomar o poder a força das armas e lutavam contra as forças armadas do país, resultando em um dizimamento de cerca de 20% da população.

MINUGUA contou com 416 funcionários - 283 de contratação internacional: 103 voluntários, 113 profissionais internacionais, 17 oficiais de ligação militar e 50 observadores policiais, de mais de 39 países dos cinco continentes e 133 funcionários guatemaltecos de contratação local, cujos detalhes podem ser verificados no artigo MINUGUA - Missão das Nações Unidas para Verificação dos Direitos Humanos em Guatemala de nossa autoria.

Naquela ocasião partindo de cada Estado da federação, encontramo-nos no Rio de Janeiro (Maj PMCE Eliziário, Cap PMMA Furtado, Cap PMPI Hudson Lima, Cap PMRN Antenor Neves e Cap PMRR Uzi Brizola), foi uma das experiências mais enriquecedoras de minha carreira.

O segundo momento foi no ano de 2008 quando freqüentei na Escola Superior de Guerra – ESG, o Curso de Logística e Mobilização Nacional – CLMN, ao lado de companheiros do Exército Brasileiro, da Marinha do Brasil, da Força Aérea Brasileira, da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, da Caixa Econômica, da imprensa, do Corpo de Bombeiros Militares de Minas Gerais e do Maranhão, das Polícias Militares do Distrito Federal e Pará, compondo a Turma Vanguarda Logística, sob o comando do Brigadeiro Bandeira, auxiliados pelo Cel R1 FAB Celente, Capitão de Mar e Guerra Garrido e Cláudio.

Tais situações em muito se identificam com a atividade agora vivenciada, vez que MINUGUA e MINUSTASH são missões das Nações Unidas (evidentemente assentadas em países diferentes e com as suas peculiaridades, mas, os seus participantes além de servir ao Brasil, ajudaram e ajudarão aos nossos irmãos guatemaltecos e haitianos a reestrurarem seus países. No atual BRABAT/17º Contingente, o Ten Cel ExB Créspio, um dos integrantes, também participou do CLMN/2008.

Vimos uma tropa motivada, treinada e preparada para participar de uma missão de significativo valor para a nação que se traduz em orgulho para qualquer brasileiro, por tal desejamos aos nossos companheiros militares sorte e sucessos, pois nos seus retornos aos países de origem e às suas famílias, a honra e a sensação do dever cumprido, estarão batendo mais forte em seus peitos e a glória lhes acompanhará por todos os dias de suas vidas.

Natal-RN, 18 de outubro de 2012.

Ten Cel PMMA Carlos Augusto Furtado Moreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caros amigos

Poder expressar-se é a oportunidade de compartilhar conhecimentos adquiridos ao longo de nossa existência, portanto, sejam benvindos as minhas considerações profissionais.